quinta-feira, 6 de março de 2008

Meu nível de indireta

Ultimamente tenho feito redações todas as semanas, e isso é realmente uma grande droga, principalmente quando eles colocam temas horrorosos como a transposição do rio São Francisco e corrupção. Argh.

Aí, não pude evitar e coloquei lá no finzinho da minha conclusão:
"(...) Já é hora dos colégios diminuirem o foco exagerado no vestibular e se voltarem para aspectos mais importantes, como o caráter dos seus alunos."

E, mais embaixo, a lápis:
"P.S.: Que propostas mais horrorosas!, quase colocava um texto aleatório, eu, hein!"

5 comentários:

Luh disse...

O que tu tens contra escrever sobre a transposição do São Francisco ou sobre Corrupção? Oxi, queres escrever sobre o que? o_o

gabi disse...

Tô na mesma situação que você. Toda semana uma redação diferente, e o tema da última foi "O Brasil chama por ética". Só espero que no final do ano, depois de tanto treino, eu consiga fazer uma boa redação no vestibular oO

Se eu botasse um "P.S." desse numa de minhas redações acho que minha professora dava logo um zero! hahaha
Beeeijo :)

Irena disse...

HAHAHAHA, na minha escola (O Inferno) desde o primário você faz redação toda semana. E acho que todo ano eu tenho que fazer pelo menos uma redação sobre: aborto, corrupção,trânsito e essas chatices.
Mas esse ano eu decidi que não vou fazer é redação nenhuma!

Vanessa disse...

Que droga u_u tinha feito um comentário enorme e todo rebuscado XD mas o blogger me roubou -_-'
Mas enfim, eu também tenho que redigir toda semana, o último foi sobre a internet/exclusão digital e derivados e o próximo já é sobre aborto. São temas bons, eu diria. Melhor do que a transposição do São Francisco. Argh, lembro do ano passado, quando a gente tinha que fazer uma redação sobre isso pro professor de Geografia. Um saco u_u
Mas é o vestibular, né? É uma vida amarga XD (?)

:*

manu disse...

hahaha, sua revolta com as redações do colégio são uma graça, : ))

parei com meu blog por dois meses e só hoje vi o seu comentário lá, então vim retribuir a visita.