sábado, 1 de março de 2008

Nostalgia

Sempre que eu estava zanzando por sites e encontrava desenhos feitos quando criança por ilustradores legais, eu ficava me lamentando por não ter nenhum desenho de quando eu era pequena...
Então, hoje, me toquei: e não era mamãe que tirava os desenhos da minha mão para guardá-los?
De fato, era.
Agora nós estamos com papel de todo lado! Cartões de Dias das Mães, de Dias dos Pais (na ausência de pai, ia pra mãe mesmo, ué!), cartas, envelopes, rabiscos, muitas canetinhas, lápis-de-cor, linhas feitas a lápis e não-apagadas, desenhos feitos simplesmente para dizer Eu te amo.

E, no meio de tudo, uma carta.
De uma moça que cuidava de mim quando era recém-nascida e nós nos mudamos de Maceió para Fortaleza. Segundo mamãe, ela foi embora durante a noite e deixou o bilhete embaixo do nosso travesseiro.
Me fez chorar.

se a passagem Não fosse tão cara eu não ia embora de vez porque sempre que eu tivesse saudade de ver familia eu ia em casa
Não pensei que fosse gostar tanto da Janaina quando me deitava com ela na rede pra fazer ela dormir ela olhava pra mim e eu achava tão linda e dava tanto beijo e abraço e ficava com vontade de chora porque ia embora e começava a cantar a musquinha falar ela dormia e eu tornava a beija e dizia é linda demais.
Dona Gema
Obrigado
Por tudo

6 comentários:

Rê. disse...

Deve ser estranho... não ter mais a pessoa perto. Ruim até. :~
adorei o blog ^^

Irena disse...

Sabe que passei por uma coisa mais ou menos assim?
Foi tão estranho nos primeiros meses quando essa moça que cuidava de mim nos deixou, parececia que a qualquer momento ela ia voltar! Mas no fim das contas isso nunca aconteceu.

Luh disse...

PÁRA TUDO. Seu nome é Janaína? Será que eu era a única que pensava que Jana era apelido e não nome? Sou muito lenta, lenta, lenta. huahuhuahua.

Essa cartinha é muito fofa. Também tive uma babá que foi que nem a Dona Gema, mas ela não deixou cartinha. Nem lembro porque ela deixou de trabalhar aqui :/

beeijo.

raquel disse...

das moças que cuidaram de mim, eu só lembro de duas: uma a gente ajuda até hoje, e é um amor de pessoa; a outra me fazia acreditar que eu, uma criança indefesa e inocente, tinha feito coisas horríveis, e acrescentava que, se eu contasse pra mamãe, o diabo viria me pegar de noite! demorei anos até conseguir abrir a boca pra falar a respeito. trauma total.

eu peguei aqula chuva também! parei pra alugar um filme dps da prova e, quando vi, já tava no meio da rua com o guarda-chuva aberto. fiquei tão feliz que estava até cantando 'siiiinging in the rain' na minha cabeça =D

(meu Deus, como eu falo!)
;**

gabi disse...

Que legal encontrar essa cartinha depois de tanto tempo! Relembrar o passado é bom às vezes :)
Ah, adorei o negócio das planárias ali embaixo ^^

Luh disse...

Só pra constar, eu não quero fazer medicina não! huahuauhuha.
Eu sou fresca demais até pra olhar meu sangue quando faço exame, imagina mexer em cadáver!
deus livre.

e pode deixar que vou terminar a história sim! beeijo