terça-feira, 23 de setembro de 2008

Sobre Ensaio sobre a cegueira

Vi o filme no domingo, enquanto almoçava uma pipoca grande e tentava não conversar com a amiga do lado esquerdo, que não é muito chegada em falação no cinema.
Pois é. Lembram que eu achava que não acreditava mais na bondade humana? Eu meio que menti só pra terminar com uma frase de impacto, porque na verdade eu sou uma pateta que vê o mundo colorido e só vai cair na real quando viver uma grande desgraça (ainda maior do que não passar no vestibular, para terem uma idéia do nível da patetice!).
Então, eu fui ver o filme! E achei tão, tão forte! Quer dizer, já tive minha doce época viciada em violência gratuita, comprei vários DVDs do Quentin Tarantino, e Dogville e Clube da Luta eram filosofias de vida. Quando minha tardia adolescência chegou, virei uma romântica (melhor: uma porcaria sentimental!), me decidi pelo lado meigo da vida e, pior, ela própria não fez nada para me redimir, nunca fui assaltada nem sofri alguma terrível decepção. Certo, eu sou jovem, deveria estar sorrindo, namorando e estudando, mas como não se preocupar com tudo que me envolve nesse mundo globalizado? Bolhas são frágeis e não é tão fácil assim viver numa. (Ao menos pra mim.)
Somando à carga psicológica do filme os constantes discursos hipócritas dos professores (porque, sinto muito se estou enganada, mas, por mais que eles critiquem e critiquem, nunca os vi falar sobre as atitudes que eles tomem ou sugerem ser tomadas! Eles podem bem ser humildes e preferirem não se gabar das boas ações, mas... tá, não sou tão pateta pra pensar isso), não consigo parar de planejar meu futuro e como eu vou mudar o mundo. (Também não sou humilde!)

7 comentários:

Vinícius Elias disse...

Heey! (adoro esse tipo de vocativo, tão moderno).

Deve estar pensando, que cara é esse?, vinícius-who?.

Sempre leio o seu blog, gosto de suas ilustrações, e me identifico com o fato de sermos vestibulando insandecidos...

Mas porque será que só hoje tomei a coragem de vir, e deixar um comentário? Não sei.

Prazer, Vinícius (leitor-não-mais-secreto)


;)))

Irena disse...

Sabe, por algum motivo estou enrolando pra ver esse filme. E apesar de ser desconfiada até a morte, também, assim como você, já estou de saco cheio desses filmes pseudo-deprê. Mas tenho quase certeza que a gente já conversou sobre isso algum dia desse... A única diferença é que não faço muita questão de mudar o mundo, mas também, eu não sou muito liga nessa história de bem comum.

adivinhaquemé disse...

PORCARIASENTIMENTALOMGOMGOMG. Onde aprendeu esse interessantíssimo termo, Jana o_o? Com certeza deve ter vindo de alguma experiência pessoal, ou de uma pessoa próxima a você, talvez sua BFF O.O... DE QUALQUER FORMA, ACHEI MUITO POÉTICO E USAREI POR AÍ (DANDO DEVIDOS CRÉDITOS, CLARO ;))


Bem! Meio que estou querendo-e-não-querendo ver o filme... Sou levemente, er, sensível, e histórias deprimentes me deixam meio infeliz por alguns dias.

... Mas, enfim!, vereiporquesoucult :)

(E DIA 25/12 TEM FILME DE TWILIIIIIIIIIGHT. Bom dia para jogar pipoca em Edward lovers.)

Irena disse...

"... Mas, enfim!, vereiporquesoucult :)

(E DIA 25/12 TEM FILME DE TWILIIIIIIIIIGHT. Bom dia para jogar pipoca em Edward lovers.)"

ALGUMA PESSOA SÃ!
Aliás, você terminou de ler o livro?
E eu te mandei um convite para o Twitter. Tipo, eu ATÉ PENSEI na possibilidade de maníaco-stalker aparecer por lá, mas quando eu repensei fiquei toda: ATÉ PARECE!!!
Quem é que vai ficar obcecado com a minha vida desinteressante? Ninguém. Então acho que está ok.
Então deixe de ser tão neurótica porque se você tivesse algum stalker provavelmente ele estaria vasculhando esse blog e todas as suas outras contas (como amiga, que é stalker de uma outra garota, faz).
Ahhh, e eu quase não apareço nas tirinhas... Porque eu não sou engraçada, juro! Mesmo assim leia! É só fingir que todo mundo ali é personagem ficcional.

adivinhaquemé disse...

Bom! Meio que... Terminei. Quer dizer, na parte em que eles estavam naquele super-hiper-mega exciting jogo de baseball, comecei a pular páginas ou ler superficialmente... Tentei ler aquilo tudo direito, mas os únicos pensamentos que me ocorriam enquanto eu folheava eram: 1) "Eu gastei dinheiro com isso, vou chorar." e 2) "Por quanto será que eu vendo...?"

Aí depois entrei em uma grande crise-todo-mundo-ama-Twilight-e-a-humanidade-está-em-risco, achando que não havia pessoas decentes no universo, mas! Encontrei um tópico num fórum, com o singelo nome "Anyone else can't stand Twilight?", que tem umas 8195819 páginas, e aí suspirei aliviada e voltei a acreditar que há futuro para o mundo.

Mas, bem! Sempre bom encontrar uma pessoa sã, mesmo que seja num lugar tão decadente quanto este blog, hmm... (Just kidding, Janette!)

adivinhaquemé disse...

medo em fórum aletório:

"Mas vcs acreditam que tem comunidade no orkut dizendo: eu detesto crepúsculo ou odeio o edward ou ainda eu escrevo melhor que a Stephenie Meyer?
Mas adivinha quantas pessoas tem na comu? No máximo umas 20... rsrs
É só pra fazer polêmica, chamar a atenção mesmo."

Anna disse...

Ainda não vi o filme porque moro numa cidade que é uma potência em ascensão por isso o filme ainda não estreou por aqui. Mas estou lendo livro e estou achando demais.
Você me lembrou muito uma amiga que é bem assim.
Beijos