quinta-feira, 4 de junho de 2009

Nitrado de preto

Ontem teve laboratório de Química e, pra variar, as melhores coisas acontecem por lá. Primeiro, a professora é a melhor que nós temos (e a única mulher!), não exatamente por ela ser uau ou incrível, mas pelo péssimo nível dos outros. Segundo, bom, laboratório, jalecos, reações químicas, corações, tudo é muito maravilhoso!
Outro dia fomos jogar forca no quadro negro (enquanto o papel de filtro secava na estufa) e notamos uns poeminhas muito bizarrinhos e pseudos. Morrendo de rir e, para zoar e completar a onda, escrevi o clássico do Drummond:
S T O P
a vida parou
ou será que foi o automóvel?
Voltamos à prática e, depois de um tempo, acabei passando do lado do quadro negro de novo, e um menino que também estava de passagem comentou comigo:
– Caramba, hein, altas filosofias no quadro!
(Eu ri.)
– Principalmente esse aqui, viu, profundo – e apontou pro que eu tinha escrito. Quê.
Aí ontem fomos trabalhar com AgNO3 e eu me lembrei de um laboratório anterior em que o monitor falou para termos cuidado com a substância porque ela manchava a pele. É claro que eu tive uma imensa vontade de despejar de propósito na mão pra ver como ficava, é claro que todos me acharam sem-noção, mas eu acabei me esquecendo na época e só fui fazer ontem, com algumas gotinhas, na digital do dedo indicador. O líquido é transparente, e na hora eu não percebi nada, não senti nada, mas quando saímos do laboratório e meu dedo começou a ficar exposto ao sol, bom, ele começou a empretar. Ficou pretão uma hora, ou melhor, marronzão, e parecia que eu estava toda lambuzada de chocolate! Impregnou na unha também, e hoje, apesar de ter saído a negritude da minha digital, tá parecendo que eu brinquei na areia e esqueci de lavar embaixo das unhas. Já estou com saudades!

10 comentários:

Luisa Pinheiro disse...

Jana, você é maluca!!! Quando eu ouço alguém falando como determinada substância é perigosa (?), eu também morro de vontade de meter a mão, mas acabo sem coragem!
Que bom que seu dedo tá voltando ao normal sem você ter que fazer nada.
Mas, enfim, acho que nem posso te chamar muito de doida já que nas aulas de foto a gente revelava fotos no laboratório e bom... meti MUITAS vezes minha mão no revelador (que é tóxico, hihihi). Mas é que eu não tinha paciência pra pegar o papel fotográfico com a pinça. Podia arranhar a imagem ou acabar deixando tempo demais ali e a foto ficava escura.

*Lusinha* disse...

Ah, eu não teria coragem de me arriscar não.
E se meu dedo começasse a ficar preto, ia ficar morrendo de medo. ;)
Bjitos!

Cih disse...

shuashuashuashua que doidice me deu medo,achei que seu dedo fosse cair!
beijos

Isa disse...

AISUHAISUAIUSHAUH ADOREI AS PIADAS.

Jana, RI DEMAIS. Sério, rio de qualquer coisa.

"foi piscar e dormiu" HAHAHAHAHAHA

atóron!

Daisy K. disse...

Nossa, forca. Quanto tempo não brinco disso!

"...e apontou pro que eu tinha escrito. Quê." Ri quando li essa parte :x

E olha o que a curiosidade faz! Ainda bem que ela só mancha por um certo tempo. Imagine se você tivesse despejado na mão?! Iam achar no mínimo estranho sua mão de outra cor. AHSDUHASDUHA

:*

Irena disse...

Sempre quis que uma dessas misturas químicas explodisse que mim! Assim, tipo como acontece em desenho animado HIHIHIHI.
Meus professores também são terríveis, e os que são bons estão doentes e nunca mais foram dar aula.

Marina disse...

Eu morreria de medo dessas substâncias químicas!
E nunca faria o que você fez!
Como eu sou medrosa...

Camila Dias disse...

Corajosa!! Eu ja sou o contrário, uma cagona. Enquanto lia sentia um certo temor de você dizer que o nitrato de prata tinha queimado seu dedo ou pior. No fim acabei rindo, que bom que ele ta voltando ao normal.

Beijo

Aíla disse...

Pois eu achei tão legal isso. Ano passado foi um dilema pra eu decidir entre Jornalismo e Eng. Química. Chega me deu uma saudadezinha pelo que não tive quando li o post :)

Nina Vieira disse...

kkkkkk! Que massa isso, dedo preto!
Ai, ai, lembrei das minhas artiminhas filosoficas/poeticas emn quadro de escola...
Bjos.