sexta-feira, 4 de julho de 2008

Até galinha nós tínhamos

Morei bons anos num sítio, uma chácara, na verdade.
Era o orgulho de mamãe, porque, veja bem, nós tínhamos nada mais nada menos que de-zoi-to tipos diferentes de frutas acolá! Acerola, jambo (plantamos três pés e não moramos tempo suficiente para que dessem frutos, mas é claro que conta, dã!), milho, maracujá, manga, goiaba, banana, feijão, serigüela, laranja, caju, jabuticaba (era do vizinho, mas as frutas caíam no nosso terreno, hihi), graviola, cajá, abacate, mamão e, ok, não lembro mais!
Quando tinha 10 anos e nossa dívida do apartamento só aumentava, mamãe decidiu vender o sítio. Até quem só tinha ido lá uma vez lamentou conosco! O vizinho foi o primeiro que se ofereceu pra comprar, na verdade ele queria comprar o nosso terreno há séculos, já que o sítio dele era horroroso e o nosso maravilhoso, mas como ele era daqueles que coloca forró nas alturas aos domingos quando os meus avós iam nos visitar e se recusa a diminuir o volume mesmo quando vamos até a sua porta pedir que diminua, não aceitamos vender a ele.
Um outro homem apareceu depois e vendemos pela mixaria de 32 mil reais. Algum tempo depois descobrimos que, ops, o nosso vizinho tinha pago àquele homem para que comprasse o sítio e depois passasse pro nome dele. Pra você ver como é a vida.

3 comentários:

raquel disse...

ráá, agora que eu fui ver a "corrente" das três coisas que tu tinha passado! vou postar amanhã! =D

eu quase entendo como você se sente. a diferença é que eu nunca vendi nada pro meu vizinho. mas tu já descobriu como tá o terreno agora? quem sabe ele não teve uma epifania e resolveu não profanar o lugar.
;*

Luisa disse...

Nunca tive um sítio. Mas esse sentimento que tu tens é bem comum pras pessoas que já tiveram (refletindo sobre isso agora). Mamãe morou num interior até os 7 anos e tinha um sítio. Precisa ver a cara dela quando fala dele. E é louca pra me levar lá antes deu ir embora (se eu for...).

Mas acho que por ter passado minha infância nesse bairro residencial e não ter colocado o pé na terra mesmo, eu sou essa bicha fresca de hoje! haha

beeeeeijo

p.s.: e minha paixonite pelo evaristo me faz bem tááá! huahuahuhua

Guria disse...

Minha familia tambem tinha um sitio a um tempo atras e tivemos que vender para meu pai ampliar os negocios dele, quando magoada e fiquei com isso tu não tem idéia... eu simplesmente AMAVA.. e amo a vida no campo... mas muito sem vergonha esse homem, vulgo vizinho... como pode existir pessoas desse tipo hein??/ aff

beijos