quinta-feira, 16 de abril de 2009

Isso porque ele não me viu brincando de mímica

Já devia fazer um mês que eu não via a cara desse professor de Introdução à Engenharia Elétrica, mas hoje ele apareceu e enfim esperamos ter algo que se assemelhasse a uma aula. Não vou comentar o que realmente aconteceu que fez com que aquela uma hora não parecesse com uma aula (na verdade tava muito mais parecido com um episódio de Castelo Rá-Tim-Bum, seeenta que lá vem história!).
O ponto é que, antes de a aula começar, eu e mais quatro estávamos jogando Uno loucamente, porque ontem teve prova e eu nem ousei levar o jogo, para não nos distrairmos, e a abstinência estava braba. Jogamos, jogamos, o professor chegou, eu recolhi as cartas e nós voltamos aos nossos lugares.
O tempo passou, o professor encarou a turma.
Aí ele começou:
– Sabe, bem ali na esquina, num boteco, tem um grupo de desempregados reunidos jogando baralho. – Pausa para pausa dramática. – Eles estão lá porque não têm mais o que fazer, eles não têm trabalho. – Pausa para uma segunda pausa mais dramática. – Então, bom. Vão para o boteco e jogam baralho.
Ele olhou para toda a sala, como se realmente não estivesse dando uma indireta diretíssima, e identificou um tabuleiro de xadrez lá pelo fundo.
– Xadrez já é um pouco melhor, mas não é exatamente o tipo de jogo ideal para se desenvolver o intelecto. Mancala, ah, isso sim que é jogo de tabuleiro! É incrível. Sei que vocês sabem o que é. – (E se eu disser que ele não foi irônico?) – Uma vez eu conversei com um cara e ele, puxa, jogava mancala de 32, não era de 16 não!
E continuou no lenga-lenga.
Eu não sabia o que era mancala, nunca tinha ouvido falar, mas fiquei me segurando para não rir. Assim, qual é o problema que ele vê num simples bom-dia? Eu gosto de bom-dias. Ele podia ter arranjado uma frase melhor para dizer depois de quatro semanas sem ver os aluninhos dele. Nem é original! Primeiro, as pausas de impacto já estão muito das batidas, e onde é que não se fala de desemprego hoje em dia? Segundo, qual é o problema dele com a nossa felicidade, hein? Não vou ficar pra trás só porque tentei não enlouquecer e decidi aproveitar a vida em vez de deixar a vida se aproveitar de mim.
De qualquer maneira, cheguei em casa e fui pesquisar, para não bancar a medíocre. Mancala é um jogo africano-asiático, que se joga com sementes e um tabuleiro que pode ser feito a partir de duas caixas de meia-dúzia de ovos. Achei uma versão online e fiquei jogando um pouquinho, me diverti, só que perdi... bastante. Mas já me sinto uma pessoa mais sábia, aposto como conseguem sentir toda uma evolução mental nesse post, coisa de se impressionar!
(Até parece, se eu mal consigo ganhar no nível médio!)

4 comentários:

Deborah disse...

nossa! minha prima tinha um cd-rom (na época que a gente ainda usava o termo cd-rom) com vários jogos do mundo. e um deles era mancala e era muito, muito legal! obrigada pelo link, vou jogar eternamente agora :]

e eu odeio professores que fazem cu doce. sinceramente, dá vontade de levantar mesmo da aula. mas acho que esse não era bem a intenção do seu professor, né?

Paula disse...

Jana,
Muito bom ter vc no Diario Viajante!
Vou checar esse joguinho...não brinco muito online, gosto mesmo dos jogos pra celular.
Tenha uma boa semana!
Bjos,
Paulinha

Irena disse...

Jogava Mancala quando mais nova! Ainda ate tenho o tabuleiro aqui. Mas nem é tão legal quanto baralho.
Agora, tenho um professor que é tipo esse teu. Ele NUNCA dá aula, aí quando chega em sala fica com essa frescura de:
- Vocês é que não querem estudar.

*Lusinha* disse...

Também acho que esses professores exageram. Ninguém chega a lugar nenhum sem estudar e se dedicar, mas também ninguém aguenta continuar se não se der um tempo para respirar!
Nunca tinha ouvido falar desse jogo, vou dar uma olhada na versão online para ver se entendo. ;)
Bjitos!