quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Toc toc toc

Estava voltando calmamente para casa, dando passadas longas e suspirando.
Pensando no amor.
Uma mulher me aborda:
– Minha filha, minha filha! Você vai pegar essa rua aí à esquerda? Não, não!
– Vou não...
– Oh meu deus, então tudo bem, mas olha, tome cuidado! Acabei de passar ali e um cabra safado tentou agarrar duas garotas, oh meu deus, esse povo que só pensa em coisa ruim, e ele tava de moto! Fique de olho nas motos! Aí elas gritaram e saíram correndo, eu apertei o passo também, sabe-se lá, né. Corre aí!
– Brigada por avisar! Tchau!
É a realidade sempre fazendo questão de realçar que não necessariamente o amor se encaixa na vida.

7 comentários:

Aíla disse...

Huwhsuwshwus
Adorei. Não a violência solta pelas ruas (haha), gostei da sua conclusão :B
E, você sempre é abordada na rua, né? Ninguém nunca me para na rua, pra nada.
Beeijo :)

Jessie ♥ disse...

hahaha... EU ia ficar assustada com um tipo de abordagem dessas... XD

Fernanda Rodrigues disse...

hahaha, já fui avisada de situação de perigo assim, na rua, de um jeito bem estranho também.
a gente não sabe se fica mais assustada com o "perigo" ou com a pessoa louca que te parou pra falar isso! hahaha

adorei seu blog! vou passar a frequentar sempre :)

bjss :*

*Lusinha* disse...

O seu tom irônico não me permitiu identificar se você realmente ficou preocupada. Mas se não ficou, deveria. Na dúvida, é melhor se previnir. :p
Bjitos!

Sofia A. disse...

Concordo plenamente.
Aquele amor que passamos toda a vida esperando, não sei se se encaixa na realidade. Ou anda perdido ou fugindo de nós.
Gostei muito do blog! Vou linkar!
Um beeijo!

Emolicious disse...

hauhauhauhau

Gostei do seu jeito de enxergar as coisas...

bjos

Joana disse...

se você se preocupou ou não eu não consegui saber, mas eu ficaria ao menos ligada. sabe-se lá né?