domingo, 8 de março de 2009

A melancolia do domingo

Rosa trabalha aqui em casa desde que eu tinha seis e ela dezoito. Fazendo as contas, ela tá perto dos trinta e eu, perto de alcançar a idade em que ela começou a trabalhar.
Durante muito tempo mamãe tentou incentivá-la a voltar a estudar (também não foi muito interessante quando eu superei o nível escolar dela e nós paramos de jogar baralho e ver novelas juntas) e só conseguiu há uns dois anos, desde quando ele não tirou férias, por causa das greves loucas da escola.
Esse ano chegou, ela passou direto em tudo, enfim pôde tirar férias, e mamãe e eu ficamos só na casa. Começamos a fazer nossar próprias refeições, inventar na cozinha, tirar o nosso próprio lixo e mais um monte de atividades caseiras. É tão bom! De vez em quando dá uma preguiça, mas eu me sinto tão livre, em saber que eu estou cuidando da minha própria casa, de mim mesma, que afinal isso é a independência.
Só que férias de Rosa acabaram e ela volta amanhã. Fim das dancinhas em frente à pia, do cuidado em não jogar os restos de borracha no chão, da leitura solitária sem forró de trilha sonora.

Um comentário:

Irena disse...

Não sei se porque aqui em casa é um monte de gente, mas sinto tanta falta quando a secretária daqui tira férias! Além do mais, mamãe sempre fica histérica.

P.S.: falta eu terminar um pedaço do meu diário de viagem, mas pode aportar que postarei!