terça-feira, 10 de junho de 2008

Fatias de cotidiano

a) No ônibus, um senhor, ávido por ajudar alguém, ofecereu-se para segurar as apostilas de uma pré-universitária que estava na minha frente. Mas ela teve que negar, pois já ia descendo. Então ele se virou para mim, ansioso: “Você também vai descer?!” Eu achei que ele estava sendo incrivelmente amável, mas infelizmente ia, então só dei um sorriso de orelha a orelha e concordei com a cabeça.
b) Coloquei o dinheiro de segurança (para caso eu gire a roleta antes do trocador passar minha carteirinha de estudante e eu não tenha dinheiro para pagar a inteira - e acabe passando a maior vergonha...) no bolso furado da calça e perdi cinqüenta centavos. (Como não tenho mais cofre - por enquanto! -, porém, não importa tanto.)

P.S.: Lembram-se disso? Bem, era uma TPM das mais tristonhas, que só colo de mãe cura. Curou!

4 comentários:

Irlan disse...

você fala do "cotidiano" como inguém.
adoro ler seus posts por essas e outras :D
beijão

Luh disse...

Juro que pensei que o cara ia roubar seu dinheiro de segurança!!!
Que bom que sua melancolia passou, menina.

beeijo.

raquel disse...

meu dinheiro de segurança é para o caso de eu pegar o ônibus errado e não ter como voltar para casa =D
aah, senhores no ônibus costumam ser gente boa :} no dia que eu peguei o ônibus errado (mas eu não precisei usar o dinheiro de segurança porque eu parei num canto onde não passava o que eu queria e tive que voltar a pé - e ganhei dois calos na sola dos pés), ele me acalmou. tudo bem que eu não tava desesperada, mas a intenção é que vale.

;*

Anna disse...

O mundo tá precisando de mais velhinhos legais e amáveis como esse!
Beijos